Nepal

Panorama

No dia 25 de maio de 2008, após 240 anos de reinado, a única monarquia hindu no mundo se tornou a República Democrática Federal do Nepal. Alguns dias após o rei deixar o palácio, este foi transformado no Museu Narayanhiti.

As pessoas viveram por um longo tempo em uma atmosfera de tensão. Havia disputas em andamento entre a antiga monarquia e os rebeldes maoístas do país, que queriam estabelecer um regime comunista.

Hoje, o país ainda está engatinhando por uma democracia multipartidária, mas um passo significativo foi dado no dia 20 de setembro de 2015, quando foi promulgada a primeira Constituição do Nepal. O tempo político é de novos começos.

A cultura é um reflexo da diversidade étnica que compõe o Nepal, no entanto o hinduísmo tem muita influência nos costumes, já que 80% da população é hindu. O budismo também influencia e se mistura com as práticas hindus (cerca de 10% dos praticantes). O budismo sustenta que o Buda nasceu no Nepal.

O ano nepalês começa em meados de abril e é dividido em 12 meses. Sábado é o dia oficial de descanso. A moeda oficial é a rupia nepalesa e o idioma é o nepalês, mas o inglês é considerado um segundo idioma.

A capital é Kathmandu. A população é superior a 29 milhões, tornando o Nepal uma das maiores densidades populacionais do mundo – mais de 200 habitantes por quilômetro quadrado.

É considerado um país pobre, aproximadamente 25,2% da população nepalesa vive abaixo da linha da pobreza, segundo dados divulgados pelo Banco Mundial. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é considerado um dos mais baixos do mundo, parecido com os de muitos países africanos.

Estatísticas recentes indicam que 69% da força de trabalho do Nepal está na agricultura, 12% na indústria e 19% em serviços. A renda média anual é de U$ 2.700 (dois mil e setecentos dólares) per capita. Dados retirados do site https://www.indexmundi.com/nepal.

Um lugar de contrastes

O Nepal tem muitos contrastes. A diversidade de idiomas, grupos étnicos e castas é impressionante. Enquanto o país apresenta belas paisagens montanhosas, a cadeia do Himalaia que possui a maior e mais alta montanha do mundo, o Everest, e diversidade animal, especialmente aves, o Nepal tem escassez de água e eletricidade. Essa escassez não se deve a condições naturais, mas a questões políticas e estruturais.

Não há energia hidrelétrica suficiente para capturar energia ou um sistema de distribuição de água que atenda a todas as necessidades, nem existem boas estradas para estimular o fluxo da produção. O Nepal é famoso por suas ervas, frutas e mel, mas não exporta com sucesso.

Não existe indústria desenvolvida e a maior parte da produção é aplicada a uma cultura de subsistência. O Nepal é um país encantador em seu ambiente natural, mas suas paisagens urbanas ficam aquém devido à infraestrutura precária e à enorme quantidade de poeira. É importante observar que o Nepal continua a se reconstruir nas áreas urbanas e rurais após o devastador terremoto de 2015.
O Nepal tem uma taxa muito baixa de violência em relação a roubo e assassinato. No entanto, possui altos índices de violência doméstica, abuso infantil e tráfico de pessoas.

Menu